Os 32 participantes das nove equipes inscritas no Desafio TICNOVA, promovido pela Software by Maringá (SbM), estão correndo contra o tempo para criar uma tecnologia que permita o acionamento de Drones em tarefas específicas e de uma forma ainda não contemplada nas soluções atuais. O desafio é uma espécie de Maratona de Programação (Hackatoon), só que desta vez realizada com um prazo maior.

As equipes inscritas participaram, no sábado, dia 29 de julho, de um treinamento especial sobre drones, o Drone Tech Day. “Fizemos uma imersão na tecnologia destes equipamentos e falamos sobre o potencial de mercado, as demandas atuais por tecnologias embarcadas e principalmente, com foco em desenvolvimento de softwares para integrar os drones às necessidades reais”, explica Ricardo Matiello, um dos coordenadores do Desafio TIC Nova.

 Os programadores têm a missão de desenvolver tecnologia para resolver problemas com a questão de entregas com Drones (Delivery), em um ambiente controlado, respeitando os critérios da legislação vigente, considerando variáveis pertinentes a este tipo de operação, e propondo um modelo estruturado de acesso destes equipamentos ao espaço aéreo.

Segundo Matiello, todas as operações (inclusive as demonstrativas) e equipa​mentos utilizados, foram registradas nas agências reguladoras (ANAC, DECEA, ANATEL). Otimista, o empresário, que também é desenvolver de tecnologias embarcadas, acredita que, em dois anos, Maringá será a Cidade dos Drones, ou seja, um centro de referência no desenvolvimento de novas tecnologias para veículos não tripulados.

A presidente da SbM, Rafaela Campos Benatti ressalta que o ecossistema de TI de Maringá e Região amadureceu e hoje não trabalha apenas para gerar ideias, mas para estimular a criação de empresas e produtos. “Esse novo formato do Desafio TICNOVA permite que as empresas tenham um tempo maior para desenvolver uma tecnologia que possa ter um futuro mercadológico. Além disso, promovemos a aproximação com empresas aceleradoras e investidores anjo que dão suporte para estes novos negócios”.

 

Equipes e prêmios

Os 32 concorrentes no Desafio TICNOVA estão divididos em nove equipes, repres​entando as empresas Benner (equipe Bitstorm), DB1 (DB1 Inova e Air Dudv), Gumga (Esquadrilha Abutre), e SG Sistemas (SG Sistemas 2 e 3RM), e as instituições de ensino superior Unicesumar (Artic Tech e Dark Side) e Unifamma (Unifamma).

Pelo menos três equipes serão finalistas do Desafio e receberão mentorias no próximo dia 12. No dia seguinte, 13 de agosto, os drones deverão percorrer um caminho previamente estipulado em uma área que possa obter a aprovação do DECEA (Departamento de Controle do Espaço Aéreo). O departamento não permitiu o voo no Parque do Japão, como previsto anteriormente, devido à proximidade com o aeroporto.

A equipe vencedora será conhecida na abertura do TICNOVA, dia 22 de agosto e receberá um prêmio de R$ 5 mil. As três primeiras colocadas estarão aptas a levantar recursos de até R$ 95 mil para investir na viabilização da melhor solução apresentada. O investimento será disponibilizado pelo grupo de investidores da empresa Maringá Capital. As três finalistas também terão à disposição uma equipe de mentores que discutirá a viabilidade e as condições de inserção da tecnologia no mercado.