RIO INFO - 2016

  • BNDES e MCTIC definem cronograma para plano de ação nacional para Internet das Coisas

Ricardo Rivera, gerente setorial das Indústrias de TIC do BNDES, anunciou durante o Rio Info 2016 que 29 propostas foram entregues para a contratação da consultoria que vai desenhar o plano de ação nacional para Internet das Coisas, a ser conduzido pelo BNDES e pelo MCTIC. Na próxima semana, serão conhecidas as cinco finalistas e até o final de julho se conhecerá a empresa vencedora. [ Leia mais
 

  • IoT é a próxima nova onda

Na Internet das Coisas ainda há muitos desafios a serem enfrentados e muitas oportunidades surgindo. Para o Gabriel Antônio Mourão, consultor de novas tecnologias da Perception, que apresentou na ultima terça-feira um panorama sobre o tema durante o Rio Info 2016, este é o momento ideal para investir em IoT. Precisamos entender se o que estamos fazendo é realmente Internet das Coisas. Se não corremos o risco de fazer investimentos que ser perderão. A IoT está no topo do hype cycle. Essa fase de oportunidades dura de cinco a dez anos. O mesmo já aconteceu com o surgimento da Internet, mas nem todos os investimentos geraram inovação. Temos que aproveitar ao máximo esse momento”. [ Leia mais
 

  • Adaptação às novas tendências como diferencial para se manter competitivo na TI

O mercado brasileiro de TI tem grande potencial de competitividade, mas antes é preciso compreender que ser competitivo é satisfazer o cliente e, para isso, é preciso ter alguns requisitos básicos. Entre eles oferecer eficiência, inovação, sofisticação e adaptação às novas tendências do setor.  O assunto foi debatido durante o painel “Competitividade da TI brasileira”, nesta última terça-feira, dia 05, durante o Rio Info 2016. O painel foi composto pelos gerentes da Associação para Promoção da Excelência do Software Brasileiro  (Softex) Virgínia Duarte, Reinaldo Marques, Guilherme Amorim e Vitor Andrade.[ Leia mais ]

 

  • Internet das Coisas monitora performance de atletas olímpicos brasileiros

A equipe olímpica de remo brasileira tem sua performance monitorada por sensores instalados nos equipamentos e nos próprios atletas pela GE. É a Internet das Coisas sendo usada no Rio 2016. Os dados são coletados e analisados em ferramenta de big data. A inspiração para analisar a frequência das remadas no sistema veio de um algoritmo usado em equipamentos de eletrocardiograma. [ Leia mais ]

 

  • Globo.com usa algoritmos para definir o que o leitor vai ler.

A Globo.com está utilizando algoritmos para definir o que o leitor vai ler nas suas páginas. O método está sendo usado em 100% nas seções GShow, de entretenimento, e Techtudo, de tecnologia. Em outras áreas como esportes, a questão é mais complexa. [ Leia mais ]
 

  • Marketing: é preciso educar os clientes e definir regras de relacionamento.

“É preciso saber educar os clientes e fazer regras de relacionamento. Esse novo modelo de vendas e de marketing cria relacionamento e não a venda a qualquer custo”, diz Pedro Renan, diretor de marketing da empresa We do Logos. Ele apontou como definir equipes e traçar metas.[ Leia mais ]

 

Fonte: Site RioInfo - 2016 <http://www.rioinfo.com.br/2016/>