RIO INFO – 2016

Pacto pela TI é proposto na abertura do Rio Info 2016 e vira consenso entre empresários e governo  

Um pacto pela tecnologia envolvendo empresários, pesquisadores e autoridades do setor de TI, com o objetivo de desenvolver um Programa de Fomento foi proposto durante a abertura do Rio Info 2016, pelo presidente do Sindicato das Empresas de Informática do Rio (TI Rio), Benito Paret,. Ele afirmou que são necessárias condições que permitam às empresas brasileiras competirem em igualdade de condições com as dos países que apoiam fortemente suas empresas e centros de pesquisa. A proposta foi corroborada pelo secretário da Secretaria de Política de Informática (Sepin), Maximiliano Martinhão, que propôs a construção de parcerias para formular propostas para o setor. [ Leia mais ]

 

Proposta de projeto de lei promete regulamentar o mercado de software

“Embora o mercado nacional de software esteja cada vez mais forte, o Brasil é um dos poucos países desenvolvidos que ainda não possuem uma regulamentação específica para a indústria do software”, afirma Gilberto Martins de Almeida, sócio-fundador de MA Advogados, e do Instituto de Direito e Tecnologia, que apresentou nessa última segunda-feira, durante a abertura do Rio Info 2016 a primeira etapa de elaboração da proposta de projeto de lei do Marco Legal do Software, uma iniciativa da Fenainfo (Federação Nacional das Empresas de Informática) que discute sobre a regulamentação especifia para indústrias de software.
A proposta pretende agregar questões trabalhistas, tributárias, de propriedade privada, compras públicas, entre outras áreas importantes para o desenvolvimento da indústria nacional de software. Uma preocupação é ressaltar que a regulamentação não significa limitar ou dificultar o desenvolvimento e acesso aos softwares livres.[ Leia mais ]

 

Plataforma de gerenciamento lidera demanda no mundo da música

O mundo da música é repleto de oportunidades para os profissionais de TI. A principal demanda é uma plataforma que gerencie registros de músicas, agendas de shows, geração de conteúdo, atendimento aos fãs e marketing digital. O assunto foi tema do painel “TI e conteúdos digitais – oportunidades no mercado da música” realizado na ultima segunda-feira, dia 04, durante o Rio Info 2016. Participaram do painel Kátia Araújo, sócia-diretora da Bliss Digital e Guilherme Sampaio, CEO da Zamus.

 O mercado da música é um grande gerador de oportunidades, mas para isso é preciso que os profissionais de TI entendam as necessidades do setor. Para Kátia Araújo a maior dificuldade é ter uma ferramenta única de coleta de dados e assim obter informações sobre público, mercado e visibilidade do artista. “Atualmente utiliza-se ferramentas estrangeiras para suprir cada necessidade, porém são plataformas que não conversam entre si”. [ Leia mais ]


 A Sociedade Brasileira de Computação (SBC) é contra reserva de mercado para o profissional de TI.

A Sociedade Brasileira da Computação, defendeu que a regulamentação da profissão de tecnologia da informação não limite o livre exercício profissional como querem setores deste mercado. Existem propostas de regulamentação que pretendem criar uma reserva de mercado apenas para profissionais que tenham formação em cursos de TI, como engenharia de software e ciência da computação
O presidente da entidade, Lisandro Granville, informou que existem algumas propostas de regulamentação que pretendem criar uma reserva de mercado apenas para profissionais que tenham formação em cursos de TI, como engenharia de software e ciência da computação. Mas ele entende que a tecnologia da informação é uma ciência transversal, que pode ser exercida por profissionais de todas as áreas. A SBC também elaborou uma proposta em fevereiro de 2016, o PL 4409/2016, defendendo o livre exercício profissional. [ Leia mais ]
 

Internet das Coisas mudará rotina de empresas e pessoas
A Internet de todas as coisas revolucionará o modo como vivemos e interagimos com o ambiente ao nosso redor. O ambiente de uma casa inteligente pode aprender no dia a dia os hábitos dos moradores e adequar o ambiente às suas preferências. [ Leia mais

Fonte: Site RioInfo - 2016 <http://www.rioinfo.com.br/2016/>