O porto de Santos, em São Paulo, um dos que possuem maior fluxo de entrada e saída de cargas do Brasil, tem passado por maus bocados em fevereiro. Apesar da administração portuária exigir a utilização de software de agendamento de cargas para carga e descarga de mercadoria, a fim de reduzir filas e esperas inadequadas, para que não cause transtorno na entrada de cidades da Baixada Santista, na segunda quinzena de fevereiro congestionamentos e grandes filas de espera se formaram no local.

Caos no porto de Santos

Segundo a Companhia de Docas do Estado de São Paulo (Codesp) houve excesso de veículos rumo aos terminais privativos especializados na movimentação de líquidos, que ficam rumo ao distrito da Alemoa, área urbana na cidade de Santos. Este distrito não pertence à organização do porto, administrado pelo Codesp. Uma das causas que foram levantadas pela companhia é de descumprimento da regra de agendamento prévio para a chegada de caminhões em algum dos terminais dentro do porto. O acordo para agendamentos foi realizado em 2013, durante o caos observado naquele ano.

Multas e punições

Caso tenha sido desrespeitada a regra de agendamento de cargas, o governo prevê multas ao terminal que tenha ignorado a regra. Essas sanções valem tanto para empresas arrendatárias de áreas no porto, quanto para terminais privativos. Por isso as empresas devem antecipar e conquistar a redução de esforço e melhoria em seus processos, além de evitar multas e punições do governo.

Redução de custos e de dores de cabeça com agendamento de cargas

Além de evitar as multas, sistemas que realizem o agendamento de cargas agilizam e reduzem custos de carga e descarga para as empresas, além de permitir o acompanhamento da entrega da carga em todo o seu processo.

Strada Soluções em Tecnologia

http://bit.ly/18DKCLL