O Porto de Santos, com o uso do Agendamento de Cargas e Descargas , conseguiu reduzir o tempo médio de permanência de caminhões de 9,25 horas para 5,5 horas entre abril do ano passado e o mesmo mês deste ano. O Codesp ainda ressalta que em abril de 2014, o índice de veículos que cumpriram o período agendado para chegar ao porto atingiu 67% (em janeiro quando o agendamento foi adotado, esse percentual era 23%).

Estes são excelentes números e ainda contam com um outro grande indicador para o setor. O  Ministro dos Transportes, César Borges, aponta as virtudes da solução até mesmo para a redução no custo do frete se comparado ao ano de 2013: “Não só se acabou com as filas, como houve redução de 10% (no custo) do frete por conta de você organizar essa logística de escoamento”.

Luis Cláudio Santana Montenegro, diretor de Planejamento da Codesp, confirma os benefícios, colocando os problemas e dificuldades anteriormente detectados, como sob controle este ano: “Não tivemos problemas crônicos com formação de filas. Algumas contingências foram resolvidas em questão de horas”, disse.

Um sistema de agendamento de cargas e descargas , além de promover a redução de custos e problemas originários nas diversas necessidades da organização de recepção e expedição de mercadorias, permite ações efetivas em períodos de pico de movimentação, promovendo o equilíbrio e redução dos efeitos causados pela sazonalidade das operações e distribuição de recursos humanos necessários.

César Borges destacou que, além da melhora no escoamento por Santos, outros portos podem ser utilizados, pois a redução de custos permite uma nova estrutura de destino para o escoamento, citando o exemplo do Porto de Miritituba (PA), que deve ser cada vez mais usado em função do menor custo de logística.

Assim, o Agendamento de Cargas e Descargas não somente tornam muito mais eficientes as ações e operações no nível tático e operacional das empresas e envolvidos, como também oferece uma real redução de custos que, por sí só, viabilizam a solução e ainda a ampliação das margens de lucratividade e, obviamente, a redução de investimentos em processos logísticos para sanar problemas.

Uma excelente opção para a cadeia de suprimentos e todos envolvidos levarem, no mínimo, inovação, redução de custos e esforços, versatilidade e automatização para o seu dia-a-dia. 

Fonte: ABEPL