A expectativa para o próximo ano, no Brasil, segundo divulgado pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) é de que a safra tenha colheita recorde, atingindo 195,9 milhões de toneladas, quantidade 4,8% maior do que a safra anterior. Esta “super-safra” é vista como uma ótima notícia pelo Governo, uma vez que o país é um dos celeiros do mundo e, com a safra maior, aumentam também as exportações. Este crescimento da colheita é consequência do aumento do plantio de grãos, com área 3,6% maior.

Super safra 2014

Apesar do aumento da safra ser vista com bons olhos pelo secretário de Política Agrícola do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Neri Geller, que tem a expectativa de que o Brasil supere os Estados Unidos na produção de soja, o país sofre com o problema de escoamento, que beira o caos. A maior parte da produção de soja é transportada por caminhões, além disso, grande parte da produção dos estados do Centro-Oeste (Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Brasília) é escoada pelo porto de Santos, congestionando a cidade e os acessos rodoviários com filas de caminhões.

Este ano, com uma safra quase 5% menor, a fila de caminhões no porto de Santos atingiu 25km em março, na rodovia Cônego Domênico Rangoni, em direção ao Guarujá. Segundo a concessionária da rodovia, a Ecovias, o que causou este congestionamento à época foi o tráfego de caminhões ligeiramente acima da média durante aquela semana. Para minimizar estes transtornos, o Governo Federal anunciou algumas medidas, como a abertura dos portos durante 24 horas, agilizando o escoamento da carga, evitando filas de caminhões nas estradas; ampliação da capacidade de armazenamento privado e público, para atender os quase 200 milhões de toneladas previstos pela Conab, além de disponibilizar R$ 25 milhões para financiamentos nos próximos anos, com juros de 3,5% ao ano e prazo de 15 anos para pagamento.

Uma das soluções, para evitar filas e atrasos, é utilizar um sistema sincronizando a chegada das cargas e dos navios nos portos . Com isso, é possível evitar filas e engarrafamentos no período de escoamento da safra, que começa em fevereiro e tem pico nos meses de março, abril e maio. Ao minimizar atrasos ou formação de esperas longas e cansativas em filas e congestionamentos, ocorre a redução de custos e de transtornos para motoristas e tra nsportadoras.

Strada Soluções em Tecnologia