Nos últimos 17 anos, o transporte ferroviário de cargas cresceu 80%, segundo dados da ANTF (Associação Nacional dos Transportadores Ferroviários). Para os próximos dois anos, a projeção é um crescimento de 12,5%, podendo chegar a 550 milhões de toneladas úteis.

Segundo o presidente da ANTF, Gustavo Bambini, desde a segunda metade dos anos 90, com as concessões, a ferrovia não surgia com tanta força na agenda nacional, acrescentando os investimentos do governo para criação de uma política pública efetiva para o setor, concentrada no Programa de Investimentos em Logística, fortalecendo o modal: “Vivemos um momento positivo“, cita.

Em 1997, o Brasil transportava cerca de 250 milhões de toneladas através das ferrovias. Hoje, esse volume ultrapassa a casa dos 450 milhões (um incremento de quase 80%), demonstrando através de alguns segmentos, como o transporte de grãos, um grande vigor de crescimento e competitividade.

“Mesmo sem considerar o efeito estruturador dos projetos “greenfield” (projeto que começa do zero) na área, justamente aqueles em que os esforços do governo se concentram, entendemos que esta é uma tendência a ser mantida”, acrescenta Bambini.

Estudos recentes apontam que, considerando novos trechos e a manutenção dos investimentos das atuais concessionárias, a participação do modal ferroviário no transporte de cargas tem condições para saltar dos atuais 30% para cerca de 45% até 2031.

 

Fonte: Portal Transporta Brasil