Segundo o ministro da Fazenda, Guido Mantega, a gasolina ficará mais cara ainda em 2014. Esta medida vem em conjunto com a decisão do governo de sacrificar o Superávit Primário (economia feita para pagar os juros da dívida pública) em prol de gastos com investimentos, saúde e educação.

Segundo o próprio ministro, "Quem resolve o preço da gasolina é a Petrobras. Temos uma certa regularidade. Nos últimos anos, sempre teve aumento. Um ou dois. É um setor privilegiado. A maioria dos segmentos teve reajuste de preços uma vez por ano, e não duas vezes por ano. Ano passado [a gasolina] teve dois aumentos. Então, esse ano não será diferente. Vai ter aumento. Ano passado teve aumento em novembro. Quando houver a decisão, haverá um aumento. Não cabe a mim decidir isso".

Conforme apresentado por Mantega, os dois reajustes realizados em 2013 aconteceram em janeiro, quando a Petrobras reajustou o diesel em 5,4% e a gasolina em 6,6%, e em novembro, onde foi anunciado o aumento dos preços nas refinarias de 4% para a gasolina e 8% para o diesel.

 

Fonte: Portal Frota & Cia